Jóias de Prata Tibetanas – Origem e História das Jóias Tibetanas

A pesquisa mais recente conduzida pela sociedade National Geographic nos EUA mencionou o fato de que a mais antiga relíquia de joias de prata esterlina tibetana tem, na verdade, mais de 30.000 anos de idade. Quando se trata de antigos tibetanos, 925 ornamentos de prata não eram apenas para ornamentação, eles eram o reflexo da identidade étnica e também um marcador de classificação. Posteriormente, o início da joalheria artesanal de prata esterlina certamente pode ser atribuído ao Tibete.

Os primeiros egípcios identificaram a prata na era do bronze; também parecia estar relacionado com a lua. Normalmente, a flexibilidade e os traços radiantes da prata a consideravam muito respeitada durante as primeiras culturas do leste próximo. Os nativos americanos também encontraram prata esterlina nas montanhas dos Andes da América do Sul, onde as pessoas herdaram a reputação majestosa. Os conquistadores espanhóis posteriores se beneficiaram amplamente dos 925 comércios de prata. A partir de 5000 aC, a mineração de prata se estendeu por toda a Europa, junto com a Grécia e a Espanha liderando o caminho. Devido à alta existência de componente de chumbo no minério de prata (que infelizmente é prejudicial ao ser humano), os mineradores de prata sofreram inúmeras mortes. Provavelmente foi mais aparente no século XX, quando a técnica de extração de prata mais segura foi encontrada. O metal prateado também foi apontado como divino junto com o ouro no livro cristão do Gênesis. Pelo contrário, naquelas eras anteriores, a prata era vista apenas como uma mercadoria. Parecia ser apenas durante o século 1 dC, no período romano, que os ornamentos de prata surgiram na civilização ocidental. Com o passar do tempo, as joias de prata 925 no ocidente tornaram-se marca registrada de apreço e charme. Fichas de amor de prata, bem como medalhões, eram muito famosos entre os primeiros colonos americanos. Em algumas situações, as contas de prata também foram utilizadas como moeda.

Considerando que no estilo de vida budista oriental do Himalaia, a prata esterlina 925 evoluiu como uma essência do espiritualismo que permanece até hoje. Sagradas Escrituras e também gravuras divinas emblemáticas sobre eles são a personificação de uma apreciação semelhante entre o budismo tibetano e jóias de prata esterlina feitas à mão.

Evidências antigas mostram que durante os anos medievais, o Nepal costumava exportar moedas de prata esterlina para o Tibete. As moedas de prata esterlina nepalesas continuaram em circulação formal no mercado tibetano até meados do século XIX. É seguro presumir o fato de que a cultura da fabricação de joias de prata tibetanas também foi iniciada por artesãos nepaleses.

A indústria contemporânea de jóias de prata tibetanas feitas à mão atualmente é superada pelos ourives do Nepal, que são descendentes de uma longa e ininterrupta ascendência de artistas budistas que se mudaram da Índia logo após a invasão muçulmana. Sua visualização incomparável e equilíbrio são demonstrados até mesmo por respeitados mosteiros tibetanos. Além disso, quase não há dúvida de que a arte de joias de prata esterlina artesanal tibetana parece ter acessado uma era de ouro, e o Nepal está tomando o caminho.



Source by Amogh Shakya

Recommended Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.